Coreia do Norte sentencia Trump à morte por piadinha sobre Kim Jong-Un

“Ele ousou manchar a dignidade do Supremo Líder!”, disse o jornal norte-coreano.

Nesta última quarta-feira (15), a mídia norte-coreana declarou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, um homem “morto”.
No editorial, conhecido como Rodong Sinmun, Trump é acusado de ferir a dignidade do “líder supremo” durante a sua visita à região da Ásia-Pacífico.
“O maior crime, pelo qual ele nunca será perdoado, é ter ousado ferir a dignidade do supremo líder”, disse o artigo. “Ele deve saber que, na Coreia do Norte, é apenas um criminoso condenado à morte […] Ele pagará caro por sua blasfêmia a qualquer momento”, continuou.
Embora não tenha sido mencionado qual foi comentário específico de Trump, o editorial segue inúmeros posts do presidente americano – vale ressaltar que Donald critica demasiado as atitudes do ditador comunista, Kim Jong-Un, em seu twitter -.
Por exemplo, em sua parada no Vietnã, durante o sábado (10), Trump sugeriu ironicamente que Kim fosse “baixinho e gordo”:

“Por que Kim Jogn-Un me insultaria chamando-me de ‘velho’, quando eu NUNCA o chamaria de ‘baixinho e gordo’? Ah sim, eu tento, duramente, ser amigo dele – e talvez, algum dia, isso aconteça!” , disse, ironicamente, Trump.

Isso porque agência estatal de notícias da Coreia do Norte, KCNA, chamou Trump de “um velho lunático” após o discurso do presidente dos EUA na Coréia do Sul.

“A América não procura conflitos ou confrontações, mas nunca iremos fugir”, disse Trump em Seul. “A história está cheia de regimes destruídos que testaram a paciência da América de forma insensata […] qualquer um que duvida da força ou determinação dos Estados Unidos, deve olhar para o nosso passado, e não duvidará mais”.