Ex-Oasis critica atitude ‘hippie’ do governo com o Islã

“A atitude “hippie” do governo está permitindo que milhares de jihadistas conhecidos circulem pelas ruas da Inglaterra”

Durante entrevista à Rolling Stone, dia 16 de Outubro, Noel Gallagher, ex-integrante e fundador da banda Oasis, criticou a atitude do governo inglês perante o atentado na Manchester Arena em maio, que matou 23 pessoas, incluindo o atacante Salman Abedi, e feriu mais 250 durante um concerto de Ariana Grande.
“O nosso governo – aparentemente – é incompetente para acabar com isso”, disse o músico, acrescentando: “Tenho filhos e eles estão crescendo em Londres; eles pegam metrô e eu pego o metrô […] há bombardeios por toda a porr* da cidade”. Assista:

“Nosso governo, o governo anterior, e a porr* do governo após este, continuará impotente para deter os terroristas por causa de algum ideal ‘hippie’sobre as crenças religiosas das pessoas – foda-s* aqueles filhos da p***, é o que eu digo”, afirmou. Gallagher.
Os comentários de Gallagher são particularmente notáveis​, pois sua música, Do not Look Back in Anger, foi amplamente invocada durante homenagens às vítimas do ataque de Manchester.
Gallagher disse que pensava que a música já era “um hino enorme antes que a porr* do terrorista colocasse a bomba na arena”, acrescentando que desejava que nada daquilo tivesse acontecido, e que a música continuasse tendo o mesmo significado anterior ao ataque.
Ao denunciar o politicamente correto em relação ao terror islâmico, Gallagher faz eco dos sentimentos de outro ícone da música de Manchester, seu amigo amigo Morrissey.
Pouco depois do ataque ao Manchester Arena, a ex-lenda da banda The Smiths criticou as políticas frouxas do Reino Unido em matéria de imigração, acrescentando que todos ficaram amedrontados em estabelecer uma conexão entre o islã e o terrorismo, fato comprovado.
O prefeito de Manchester, Andy Burnham, diz que “o ataque é o trabalho de um extremista “. “Um extremo, o quê? Um coelho extremo? “, perguntou Morrissey.
“Na Bretanha moderna, parece que todos têm medo de dizer em público o que pensam de verdade”, escreveu o cantor em sua página do Facebook. “Os políticos dizem para não termos medo, mas nunca são vítimas […] As pessoas não têm tais proteções “.
Ele também lamentou que, apesar dos ataques, a política de imigração de Theresa May não mudaria.
O Reino Unido deixa, anualmente, mais de 300 mil imigrantes entrarem no país, a maior parte proveniente de países muçulmanos.